Pesquise neste blog / Search in this blog

Carregando...

terça-feira, 11 de julho de 2006

Adeus, Syd

Morreu na última sexta-feira, dia 7 de julho, o lendário guitarrista fundador da banda inglesa Pink Floyd, Syd Barrett. Ele vivia recluso há cerca de 30 anos depois de ter pirado com o uso excessivo do LSD e, segundo a família, foi beijar o céu em decorrência de complicações da diabetes. Syd, que nasceu Roger Keith Barrett e ganhou o apelido por causa de um velho baterista de sua cidade natal, faleceu aos 60 anos em sua casa em Cambridge.
Fã do blues e do rhythm'blues, Syd mostrou ter talento para a música desde menino. Em 1965, reuniu amigos e decidiu batizar a banda a partir dos nomes de dois blueseiros norte-americanos, Pink Anderson e Floyd Council. O grupo ficou famoso pelas apresentações no pub londrino UFO, onde exibiam um verdadeiro show de psicodelia através de sons e imagens projetadas. Syd era o principal compositor. Os dois primeiros singles do grupo são de sua autoria - "Arnold Layne" e "See Emily Play".

A genialidade de Syd guiou toda a concepção do primeiro álbum do Pink Floyd, "The Piper At Gates of Dawn", algo como "O Flautista nos Portões do Amanhecer", um clássico do rock psicodélico. A gravação foi feita no mesmo estúdio e época em que os Beatles gravaram o clássico "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band", em 1967, durante a efervecência da psicodelia.
Logo depois do lançamento do The Piper Syd não era mais o mesmo. Nos shows ficava catatônico, chegando a tocar o mesmo acorde horas seguidas, mudo, olhos vidrados. Os companheiros logo chamaram o guitarrista David Gilmour para segurar a onda nos shows. O segundo álbum da banda, "A Saucerful of Secrets", de 1968, traz apenas uma composição de Syd, "Jugband Blues". Seu afastamento foi oficializado ainda naquele ano, ficando Gilmour em seu lugar.

Syd ainda conseguiu gravar dois álbuns solo com a ajuda dos Floyd, "Madcap Laughs" e "Barrett". Em 1989 rasparam o fundo do baú e brindaram os fãs com "Opel". Mas este não seria o último registro do gênio. Um outro álbum seria lançado com gravações inéditas feitas nos programas de John Peel, em 1970, e no de Bob Harris, em 1971. Essa peróla saiu com o nome de "Radio One Sessions".

Os membros do Pink Floyd nunca superaram totalmente a perda do amigo para as drogas e o trabalho do grupo quase sempre esteve permeado de referências a Syd. A primeira homenagem viria com o álbum de 1973, "The Dark Side of the Moon", um dos discos mais vendidos e tocados da história do rock. "O lado escuro da lua" trouxe canções como "Brain damage", que fala de um lunático na grama, e "Eclipse", que menciona o sol, no caso o gênio Syd, eclipsado pela lua, sinônimo de loucura. Depois viria "Wish you were here", de 1975, que além da faixa título traz a música "Shine on your crazy diamond", que eu reproduzo abaixo como uma última homenagem ao homenzinho que resolveu ir embora juntar-se a Lucy in the Sky with Diamonds.

"Remember when you were young,
You shone like the sun.
Shine on you crazy diamond.
Now there's a look in your eyes,
Like black holes in the sky.
Shine on you crazy diamond.
You were caught on the crossfire
Of childhood and stardom,
Blown on the steel breeze.
Come on you target for faraway laughter,
Come on you stranger, you legend, you martyr, and shine!

You reached for the secret too soon,
You cried for the moon.
Shine on you crazy diamond.
Threatened by shadows at night,
And exposed in the light.
Shine on you crazy diamond.
Well you wore out your welcome
With random precision,
Rode on the steel breeze.
Come on you raver, you seer of visions,
Come on you painter, you piper, you prisoner, and shine! "
(Roger Waters)

2 comentários:

  1. Rest in peace, great bro Syd...
    All of us, gonna meet you...someday

    ResponderExcluir
  2. ThanksSyd! You were GREAT and TALENTED!
    By Syd...

    ResponderExcluir